Divulgação. © Warner Bros / DC Comics / The Lego Group

Particularidades à parte, animações em formato LEGO estão em contínuo crescimento, e a popularidade destas peças de montar na grande tela parece seguir em ritmo desenfreado. Se Uma Aventura LEGO rapidamente se tornou um fenômeno, não será espanto o mesmo acontecer com LEGO Batman: O Filme. Afinal de contas, é uma animação sensacional.

Assim que o filme começa, somos surpreendidos pela voz do nosso herói em narração a entrada dos logos da Warner Bros, DC Comics e a “tensão” dos executivos do estúdio por se tratar de um filme “sombrio”. Não poderia ser mais hilário.

Como em Uma Aventura LEGO, o roteiro flui naturalmente, e com muito bom humor; com ares de requinte, tudo funciona perfeitamente, na dose certa. Talvez as entradas musicais desagradem alguns públicos, contudo, devemos nos atenuar que se trata de uma animação para crianças, embora muitos momentos, ou melhor, referências, sejam destinadas unicamente ao público adulto — a cronologia recapitulada por Alfred do herói ao longo dos anos ou a lembrança da tentativa fracassada do palhaço com os barcos ao final de ‘O Cavaleiro das Trevas’. É o momento que se você ainda não havia se deixado levar com o filme, certamente vai passar a aceitar.

Divulgação. © Warner Bros / DC Comics / The Lego Group

A relação entre o Batman e o Coringa é extremamente divertida, com a colocação do antagonista como um miserável, aos olhos do Homem-Morcego, é claro. Um palhaço muito sentimental e que se vê em necessidade absurda de ser notado, mais do que o comum. Em seu plano de derrotar o Batman e destruir a cidade, Coringa ”distribui” convites para inúmeros vilões, de várias franquias do cinema para que suas armações se concretizem. O desenrolar da trama acontece da maneira mais prática possível. Não existe segredo no roteiro.

Divulgação. © Warner Bros / DC Comics / The Lego Group

Mais do que uma nova atividade contra os criminosos de Gotham, LEGO Batman: O Filme é uma animação sobre relação de família. É interessante ver como o Batman, de LEGO, se porta à sua vida particular e como se assimila aquela em que ele tinha quando criança, ao lado de seus pais. O Robin é um personagem divertido, só, assim como Barbara Gordon; embora sejam peças chaves para que a história siga em frente, poderiam se quer existir e não fariam falta. Mas isso claro se o filme quisesse ter uma outra pegada, e como não era essa proposta, fica compreensível, e entendemos o por que de estarem ali.

Enfim, LEGO Batman: O Filme é uma opção leve e divertida para crianças, jovens e adultos. Principalmente aqueles que se acham “superiores demais” para assistir qualquer animação em LEGO. Vá ao cinema, se deixe levar, é um filme que vale o ingresso.

  • Erivelton Freitas

    Análise perfeita. Sinceramente, a Warner deveria usar um pouco do Poder da AT&T e assim comprar a Lego Company. Seria uma boa resposta a Disney e também agregaria mais uma grande empresa ao portfólio da TimeWarner. Afinal, o que antes era S$ 80 Bilhões, hoje é US$ 300 Bilhões. Dinheiro não falta!

    • pg

      a Warner é praticamente dona da marca Lego

  • Dyel Dimmestri

    Boa análise. Só cometeu UM errinho:
    “Tensão”é com “S” e não com “ç”.

  • É tempo né? Ao contrário do que alguns pensam, o site não é administrado por “crianças” e sim adultos com vidas, faculdade e etc, mas estamos ao longo destes 10 anos tentando ser uma “revista” digital. Tem coisas que queremos fazer, mas muitas vezes não podemos pela falta de tempo ou pessoal.

    Sempre aparecem pessoas dispostas a entrar para a equipe, mas nem sempre se encaixam por M razões, e ai seguimos só nós e os demais minions que contratamos para nos ajudar.

    Apesar disto, vamos tentar seguir adiante com essas críticas, sei que vocês gostam e nós também :)

    • Eliakim Quintino

      Sim, se puderem fazer uma análise bem ao estilo do adorocinema em relação aos filmes de animação, seria excelente! Parabéns a vcs :)

  • Eliakim Quintino

    Se for tão cômico quanto Uma Aventura Lego, vão garantir mais um fã!