Divulgação. © Toei Animation

Parece que as críticas a respeito de Glitter Force, adaptação feita pela Saban Brands do anime Smile Precure, chegou aos ouvidos da Toei Animation, que recentemente, registrou a marca, até então pertencente a Saban Brands, seu próprio nome, o que poderia indicar que o estúdio não gostou da forma com que a série foi trabalhada no mercado ocidental.

Ainda não se sabe o que vai mudar com a marca Glitter Force nas mãos da Toei, que deve utilizá-la para o lançamento de outros animes da franquia no mercado ocidental, ou simplesmente a registrou para evitar o uso. No entanto, no mês passado, foi divulgado um vídeo através do Instagram onde é mostrado o trecho de um episódio de Doki Doki Precure sendo dublado em inglês para a Netflix, mas não é possível confirmar sua veracidade. Confira clicando aqui.

Glitter Force chegou a Netflix pelas mãos da Saban em 2015, com edições em algumas cenas, mudanças na história, além de nomes dos personagens e trilha sonora modificados. A dublagem feita em Miami causou polêmica entre o público não apenas no Brasil, mas também na América Latina, que não gostou da performance dos atores.

Com a Toei sendo responsável pela marca é possível que a agora, a franquia Precure finalmente consiga deslanchar no mercado ocidental.

  • João Carlos

    O que mais me incomoda em Glitter Force é a burrice da Saban, ja que Precure ja passou nos EUA com o nome de “Pretty Cure’ , podiam ter mantido o antigo nome assim quem assistiu a primeira temporada iria reconhecer…
    https://youtu.be/iIh8jPHC2a8

    • Diogo Alves Pereira Almeida

      Na verdade poucos americanos assistiram a essa versão, exibida na tv paga canadense…
      Acho que daqui pra frente (Happyness Charge em diante) toda série Precure será lançada no ocidente com a marca Pretty Cure e a marca Glitter Force será usada em eventuais lançamentos dos especiais All-stars em DVD.

      • João Carlos

        Sim, a dublagem latina de precure usou o nome Pretty Cure, mas ficar meio bagunçado…

  • Joseph

    Ai sim…mas eu não coloco fé que vai mudar a dublagem e a questão de localização por aqui

    • Kevin Evangeliou

      Na verdade, está sendo dublado no Rio de Janeiro desta vez. Não tenho como te comprovar, mas você verá quando sair!

      • Joseph

        Sério?!
        Que coisa inesperada

      • SaintARMOR

        Do japonês ou do inglês?

      • Falar é fácil, né ‘-‘

  • Antônio sales

    Gloria Deus, agora vai….

  • Yusuke Urameshi
  • É tanta coisa reveladora que eu nem sei por onde começar.
    Já era de se esperar que a “adaptação” desse anime ia fracassar. Já faz muitos anos que a 4kids fechou as portas e em pleno 2015 a Saban resolveu fazer a mesma coisa que essas distribuidoras descaradas faziam no passado: Pegar um desenho asiático qualquer (por mais que a temática dele seja bem infantil) e censurar e americanizar até o talo. E ainda foram capazes de lançar a “segunda temporada”, mesmo pela recepção negativa da primeira.
    E o que esperar desse outro anime que supostamente chegará a Netflix? Se tiver só a Toei envolvida, acredito que será um bom sinal.

    Outra coisa a ser destacada é que recentemente Glitter Force começou a ser exibido em um canal pago na Itália chamado “Pop”. Não sei se é a versão americanizada que está sendo exibida lá ou uma versão nova sem censura.

    • Eduardo Jose de Andrade

      Mesmo a 4kids tee censurado demais yu-gi-oh DM e one piece,eu vi potencial nesses animes.

      • Miguel Stelaris

        4kmedia a konami subsidiary(filial americana)

        • Eduardo Jose de Andrade

          Ainda censura demais igual a 4kids,não entendo isso,o zexal é o + infantil e censuraram muito.

    • A Saban editava e censurava animes desde os anos 90. Ela sempre editou Digimon para os EUA e chegou a editar os animes de Transformers que chegaram aqui pela Fox Kids e pela Globo. O problema é que quando ela voltou por volta de 2014, ela começou a fazer contratos de aquisição das marcas para o ocidente inteiro e aí vieram as merdas de Digimon Fusion e Glitter Force pro ocidente inteiro.

      • Dessa parada de censurarem animes desde os anos 90 eu já sabia. O problema é que naquela época quase ninguém ligava pra isso pelo simples fato da internet não ser algo tão acessível naquela época para poder assistir um vídeo online, por exemplo. Aí não dava pra quebrar a cara do pessoal mostrando toda a censura que a Saban cometia na época. E agora, em plena década de 2010 a Saban resolveu fazer isso de novo? É claro que algo iria dar muito errado. Ainda mais quando a Saban resolveu focar no streaming para lançar esse “novo anime”, logo no formato onde existem mais animes sem censura. Basta olhar para a recepção desse anime nos comentários do Netflix.

  • Kaio Honorato Rodrigues

    Até que enfim a Toei Percebeu! Não esperava que esse dia chegasse! Eu assisti um episódio de Glitter Force na Netflix, e perdi a vontade de acompanhar, só de ver a dublagem horrenda de Miami!
    Miami tem tudo de bom, exceto a dublagem!

    • Carlos Zaga

      a censura tambeim naum ajudo

  • rose

    nunca vai chegar esse anime aqui

    • Milie

      como assim? Já tem a versão dublada(lixo) no netflix

  • Eduardo Jose de Andrade

    Odiei esse glitter force,eu defendo dublagem,mas a de glitter tava no nível de blue dragon! e ainda bem que a fórmula de sabanização não funciona mais!

  • Rafinha

    Pela noticia parece que daqui pra frente a Toei fará a venda do anime pra Netflix ou pra outra empresa de comunicação. Mas a Toei sentiu as criticas ou ela aproveitou a entrada do anime de forma notória pra a ela mesma passar a cuidar da franquia? Pois este anime a Toei ofereceu em outras épocas e os canais o rejeitaram. Só torço que daqui pra frente seja muitos acordos fechados com a Toei e Netflix com a franquia.

    • Jaiden Chiba

      Exatamente,no final a força cintilante conseguiu agradar o verdadeiro publico-alvo da franquia, e resta saber se a Toei vai manter isso no Neflix,
      ou se vai voltar a rotina de oferecer inutimente as cures a canais que
      continuariam recusando.

    • Eu espero muito (mas muito mesmo) que a parceria da Toei com a Rede Brasil resulte em alguns animes da franquia Pretty Cure passando por lá.
      Que comecem a dublar a partir do primeiro anime como fizeram recentemente com Mazinger Z, que acredito que deve chegar à Rede Brasil em breve.

  • Gabi

    Se pudesse somente mudar a dublagem seria uma benção…..

    • SaintARMOR

      Em vista da Sabanização feita em pleno 2016 a dublagem foi um dos menores problemas que constituíram essa série, ainda que tenha sido um deles.

  • Anarcopunk Heroi.

    Se mudar a dublagem n vai ter problema, mas é que tipo nos acostumamos por mais que pareça ruim, e sem dizer que mudar trilha sonoras nomes e cenas não é algo que eu aprove!!

    • Desde que não dublem em Miami de novo tá bem tranquilo.

  • Pra começar a 4Kids não deveria nem ter posto a mão em One Piece. Fazer sucesso com crianças é uma coisa! Dizer que One Piece é um anime que qualquer criança deveria assistir é outra, completamente diferente, e que não tem lá muito sentido (e o que acabou ferrando com todo o plano dela).

    Se for ver bem, mesmo Yu-Gi-Oh! nem era lá tão infantil a ponto da 4Kids adquiri-lo e achar que o mesmo poderia ficar assistivel para um público-alvo ainda mais jovem do que o originalmente proposto, diferente de Pokémon. Só deu certo por causa do jogo de cartas e porque ainda se vivia numa fase pré-fansuber, onde qualquer coisa vingava (só se fosse muito ruim mesmo, mas do contrário…).

  • Aposto que se for para exibir isso no Oriente Médio, acabam censurando mais do que já tá.
    Ou simplesmente “banem” esse anime por algum motivo estúpido como este:
    http://anmtv.xpg.uol.com.br/doraemon-paquistao-quer-banir-o-anime-da-tv/

  • Geo Hikari

    Espero que a Toei não americanize outros animes de PreCure. O jeitinho americano de querer que vejamos animes retalhados continua sendo grande e pior,mesmo que hoje possamos ver uma versão original de uma serie em um site de streaming. Mas eu queria que a Saban Brands falisse com esta retalhação.

  • Carlos Dimitrís

    o problema que sendo uma marca direta da toei vai ser mais dificil aparecer as proximas animacoes pois a saban ela consegue negociar com mais facilidade no ocidente ja a toei as proximas animacoes da Gltter Force teriam que ser licenciada ou via um intermediario como o angellotti ou via toei japonesa mesmo.

  • Eduardo Jose de Andrade

    Veja um episódio de Yu-Gi-Oh! duel monsters dublado e legendado,a versão japonesa é superior.

  • realmente estão sensurando demais esses animes ,até onde vão com isso?