Divulgação. © Makoto Shinkai / CoMix Wave

Um dos maiores fenômenos da animação japonesa nos últimos anos, Kimi no Na Wa (Your Name), será lançado nos cinemas brasileiros com exclusividade pela rede Cinemark. A data de estreia ainda não foi definida mas deve acontecer entre os meses de outubro e novembro. Abaixo você confere o pôster nacional:

Divulgação. © Diamond Films

A distribuição do filme no Brasil ficará a cargo da Diamond Films, também responsável por trazer a animação a outros países na América Latina. Não há informações quanto a uma possível dublagem em português, embora seja praticamente certo uma exibição única em sessões legendadas.

Maiores informações em breve.

  • Tyrion Lannister

    Só temos uma coisa a dizer sobre isso: Bom, MAS TARDE DEMAIS!!!

    Deveriam ter lançado no cinema por aqui antes de sair em Blu-ray no Japão!

    Como diria o outro: agora Inês é morta.

    • Kaio

      Acho que deveriam pelo menos dublar o filme, pois pela internet já encontra a versão em bluray com legenda.

  • Alice

    Triste saber que a repercussão será mediana. Os adultos do Brasil só gostam de Os Cavaleiros do Zodíaco e Dragon Ball Z. Filmes com este enredo são considerados infantis e despretensiosos, devido à supremacia da cultura “shonen porrada”.

    • Bruno Geber

      Acredito que isso seria o de menos. O problema é quem acha que qualquer animação é coisa de criança.

      • Lucas Baldez

        Sim, as pessoas preferem ver um filme live action clichê de drama e romance adolescente a se arriscar ver uma animação. (só ver o sucesso de crepúsculo e outros filmes do mesmo gênero)

    • Lucas Baldez

      Acredito que seja muito mais pelo fator nostálgia do que necessariamente uma “cultura shonen e porrada”, mas o fato de não fazer sucesso, na minha opinião, se deve muito mais ao atraso em trazer as obras para o Brasil (quando chega, todo mundo já viu na internet), a má distribuição pelo país (até agora estou esperando o filme de fairy tail e koe no katachi aqui na minha cidade), a falta da dublagem na obra (convenhamos que a maioria do público qui no Brasil assiste dublado), fui assistir o filme do Logan e só tinha uma sala com o filme legendado, o péssimo marketing que fazem da obra, pois filmes de animação fazem sim sucesso aqui no brasil (os ocidentais), por que além de chegarem mais cedo, as produtoras investem pesado em divulgação e distribuição (só ter como exemplo os filmes feitos pela disney, dreamworks entre outros). Porém, o fator mais importante é que animação é geralmente ligada a algo infantil e isso afasta um pouco o público alvo do filme (que não são as crianças).

      • Alice

        Além da nostalgia, existe, entre alguns, um exagerado senso de orgulho masculino (machismo). Não estou querendo levantar bandeiras, tipo: mulher é superior ao homem ou outras bizarrices do tipo. Afinal ambos são iguais. Porém, tente imaginar dois homens; um diz para o outro que prefere assistir Kimi no Na Wa do que Capitão América. O outro amigo que prefere assistir Capitão América olhará para ele com um olhar desconfiado. Neste caso, além do machismo, existe, também, preconceitos de todos os tipos.

        • Tyrion Lannister

          Olha, eu concordo muito com você, realmente os brasileiros pararam no tempo em relação aos shounens, se bem que se for ver bem, só os animes shounens fizeram algum sucesso no Brasil: CDZ, DBZ, Pokémon, Digimon, Yu-gi-Oh e Naruto.

          Como os animes desapareceram da grande mídia do Brasil, o povo ficou saudoso e preso no passado.

          O problema é realmente que os tempos mudaram, os animes shounen de pancadaria praticamente sumiram com o fim de Bleach. Aliás toda a violência em obras juvenis está sendo combatida ou deixada bem mais leve. Naruto Shippuden e One Piece realmente foram mais para o drama e deixaram a pancadaria meio de lado, Naruto Shippuden por causa dos fillers e One Piece por causa da animação e porque tiveram que deixar mais leve para conquistar um público mais jovem.

          Porém, isso não muda o fato de que a repercussão de Kimi no Na wa nos cinemas será INSIGNIFICANTE por três motivos:

          1 – Faz mais de 1 ano que estreou nos cinemas japoneses.

          2 – O Blu-ray com o filme já foi lançado no Japão e tem até cenas extras.

          3 – Como sabemos que será na Cinemark, com certeza será em circuito MEGA fechado com apenas cópias legendadas. No mesmo estilo dos últimos filmes da Ghibli.

          Realmente só vai valer para quem quiser ver essa linda animação na tela grande do cinema, porque, de resto, não vale a pena, não terá dublagem e o enredo do filme é muito clichê. Eu achei no mesmo nível de Koe no Katachi e achei ambos muito fracos. Na minha opinião, tem mais drama nas novelas mexicanas da tarde do SBT do que nesses filmes que estão sendo superestimados.

          Um filme ótimo que quase ninguém comenta é Kono Sekai no Katasumi ni, e eu tenho certeza que vai concorrer e possivelmente ganhar o Óscar de animação do próximo ano. O drama dele chega perto de Túmulo dos Vagalumes e deixa Kimi no Na Wa e Koe no Katachi no chão.

          Kono Sekai no Katasumi ni e Mary to Majo no Hana deveriam ser as apostas de filmes para vir pros cinemas brasileiros e latinos, mesmo só legendados, e não um filme mega atrasado. Ou alguém iria para o cinema assistir Batman v SuperMan no cinema hoje, mais de 1 ano depois do lançamento oficial, só em cópias legendadas e a versão normal (não a estendida), se esse filme não tivesse chegado no tempo certo?

          Já na questão do preconceito e machismo, isso existe mesmo. Se alguém da turma dizer que vai ver um “desenho japonês” que não tem pancadaria no cinema, enquanto os outros vão ver um blockbuster ele será massacrado de todos os modos! Aliás, só de dizer que vai ver um “desenho japonês”, seja de pancadaria ou não, invés de um filme americano já será massacrado de qualquer jeito!
          Realmente a maioria do povo, incluindo os jovens, ainda considera animes e a animação em geral como coisa de criança. Ah, mas tem os nerds, geeks e afins? Para a maioria do povo, eles são crianças que se recusaram a crescer.

          • Alice

            Da mesma forma que “O Pequeno Príncipe” é tido como uma leitura obrigatória, assistir ao filme Túmulo dos Vagalumes é indispensável. Realmente existem muitas questões envolvidas nesse tema (Kimi no Na Wa); como atraso, circuito fechado. Porém decidi me focar naquele que considero menos discutido

        • Lucas Baldez

          Eu sou homem e digo para quem quiser ouvir que EU PREFIRO ASSISTIR KIMI NO NA WA DO QUE CAPITÃO AMÉRICA, não vejo problema nenhum nisso, você não pode generalizar, lógico que existe machismo, mas não creio que esse seja o caso, pois se esse fosse a real causa para filmes que não são de porradas não terem grande público, então, por que filmes como Crepúsculo (que são odiados em massa pelo publico masculino) fazem uma boa bilheteria? (filmes de romance adolescente assim como kimi no na wa, porém live action). Isso não quer dizer que o publico feminino consegue em peso garantir esse sucesso? Então por que o mesmo não acontece com as animações? Está claro que esse “pré” conceito (de acharem que animação é coisa infantil) vem das duas partes (tanto homens como mulheres). Até a própria concepção de “Shounen” está errada, Toradora e Shigatsu wa Kimi no Uso são shounen também, eles são infantis, despretensiosos e só tem porrada? Creio que não né? Isso explica o por que de censurarem animes para poder passar para uma faixa etária que não é a indicada para esse anime, ao invés de tentarem passar para o público ao qual ele se destina.

          • Alice

            Não confunda as coisas! Ok, vc não é machista. Legal!! Meu texto apontava machismo e preconceito, não aos homens em geral. Mas discordo da sua opinião central. No “mundo” dos apreciadores de animes, pessoas mais velhas possuem sim, a mente mais fechada que as mais jovens. Enquanto muitos jovens se intimidam em assumir que gostam de algo mais sentimental para não serem ridicularizados pelos coleguinhas. Não é um fenômeno isolado. Claro, vc pode não vivenciar, mas isso existe em grande escala no “clube” dos otakus.

          • Lucas Baldez

            Mas não estamos falando em “clube de otakus” e sim do público em geral (quando você coloca “adultos do Brasil”, você não especifica absolutamente nada e acaba generalizando), e nesse caso, o problema maior é o que falei, animação ser considerado algo infantil. Boa parte das pessoas que acompanhavam CDZ na rede manchete, não acompanha animes, apenas cavaleiros (o Vilarinho do cavzodiaco é um exemplo disso), são pessoas que acompanham CDZ por nostalgia e por se identificarem com a franquia. A mesma coisa acontece com dragon ball, como disse, você não pode generalizar com isso de “cultura shonen e porrada”.

          • Alice

            Que tipo de público em geral vc se refere?! Porque qualquer pessoa que goste de animes, ao ponto de gastar seu dinheiro, se enquadra como otaku. Exceções sempre haverão, por isso é DESNECESSÁRIO especificar, e se ofender com o meu comentário, caso vc não faça parte dos “adultos do Brasil”.

          • Lucas Baldez

            Não estou ofendido, até por que não faço parte, o meu problema é você tentar atribuir um eventual fracasso de kimi no na wa a determinado grupo que se interessa por outras coisas, como disse e venho dizendo, o “público em geral” da qual eu falo, são aquelas pessoas que não acompanham animes, mas que vão ao cinema (eles que geram receita para os filmes e pesam na balança para definir o sucesso ou fracasso do filme) e boa parte dessas pessoas preferem ver um filme live action clichê do que ver uma animação (esse é o ponto que eu quero chegar), o problema não é o machismo (na minha opinião), e sim achar que animação é coisa para criança. E dizer que a culpa é dos adultos que só gostam de shounen e porrada, é no mínimo imprudente, por que você ignora o fato do filme ter chegado bem atrasado, a possível má distribuição e marketing pelo país e até uma possível dublagem (só ver abaixo várias pessoas reclamando disso), ou seja, já houve a perda de uma parcela do público otaku (pois, já há o bluray na internet) e dificilmente conquistará o público que não é otaku, que vai no cinema apenas para se divertir.

    • Kaio

      se a repercussao chegar proximo a mediana sera otimo para um filme com mais de um ano de atraso.

    • Noir Fleurir

      Ou não. Os “adultos” do Brasil só curtem filmes legendados, embora não estejam a fim de aprender inglês

    • Zen Ryo

      Concordo com você Alice.
      Se fossem mesmo fãs legítimos de animes,eles teriam a mente aberta.
      A ideia deveria ser apoiar os animes,não isola-los de vez.

      • Lucas Baldez

        Você tocou num ponto interessante, vi muita gente falando bem do filme (dizendo que é uma das melhores coisas que já viu na vida e etc…), então está na hora dessas pessoas apoiarem o produto que lhe deram tamanha satisfação, essa é a grande explicação do por que só CDZ e DBZ ganham tratamento diferenciado aqui no Brasil, pois independente da qualidade dos dois, os fãs apoiam, seja com a audiência que DBS está tendo ou pelas vendas de produtos que a bandai e toei estão fazendo para os clientes aqui do Brasil. Como disse acima, não acredito que será um grande sucesso até por que ainda não sabemos a forma que o filme chegará no Brasil (se vier para minha cidade, irei prestigiar o filme mais uma vez), porém se cada pessoa que leu essa notícia for ao cinema (e pararem de ficar usando a desculpa de que já viram a poucos dias, afinal se o filme é realmente bom, que mal faz ir vê-lo novamente?) acredito que terá pelo menos uma renda ok, de nada adianta culpar o pessoal da manchete ou band kids por eles apoiarem o produto que eles gostam e que geram satisfação a eles. Se você quer mudar o estilo de animes que vem para o brasil, comece apoiando o produto que você gosta e vá ao cinema apoiar Kimi no na wa.

        • Zen Ryo

          Verdade,eu não teria me expressado melhor.

        • Zen Ryo

          Mandou muito bem Lucas.
          Eu não teria comentado de forma melhor.

      • Alice

        Falou tudo!!!

        • Zen Ryo

          Obrigado,fico feliz que compartilhamos a mesma opinião.

      • Bem isso.
        O público brasileiro que aprecia animes (que não é tanta gente se for levar em conta o público de séries, filmes e novelas ou mesmo de desenhos ocidentais) muitas vezes sabota a eles mesmos boicotando ou encarando eventos do tipo com má vontade.

        • Zen Ryo

          Verdade Celso,sera que eles não percebem que esse comportamento apenas agrava a situação dos animes.

    • Snow

      Por mais que eu goste dos dois, é decepcionante ver esses saudosistas (vulgo viúvas da Manchete) só falando de “clássicos” e tudo o que não for é merda por não ser clássico, por não ser antigo. E o pior é o nível de ignorância deles. Por exemplo, Naruto que é bem popular até entre os mais leigos é tido como “ruim” por esse pessoal, sendo que também é dos anos 90 (não a animação). É do final da década, mas ainda é dos anos 90.

      • Lucas Baldez

        Como eu falei, acredito que cavaleiros e dragon ball fazem esse sucesso, muito mais pela nostalgia e saudosismo que uma cultura de que só shounen porredeiro é bom, pois se isso fosse verdade o pessoal mais antigo também iria adorar naruto entre outros shounen’s atuais. O fato é que isso se chama choque de gerações, acontece a mesma coisa quando o pessoal que bricava de beyblade fica falando mal do spinner (sendo que na época que beyblade tava na moda, o pessoal do pião fazia a mesma coisa), mas ti garanto que se naruto é ruim, com certeza não é por ele ser atual (até por que existem muitos animes atuais e que são bons) e sim pelos seus erros (e fillers, no caso do anime), mas da mesma forma, tanto dbz ou cdz tem seus erros também. Os clássicos devem sim ser lembrados e valorizados (até para evitar o esquecimento), mas uma obra não deve ser criticada apenas por ser atual ou antiga e ti garanto que quem fala mal é por que não viu o anime, ou por que tá de birra pelo fato de que os tempos hoje são outros.

        • Alice

          Mas Naruto tem muito sentimentalismo, que é considerado por muitos, como “coisa de menina”. Muitos amigos homens que eu tenho, dizem que deixaram de assistir Naruto, porque ele tinha muita “frescura” (mimimi). Ou seja, o problema é outro: MENTE FECHADA.

          • Lucas Baldez

            E cavaleiros do zodiaco não tem sentimentalismo? (os caras choram mais do que sobem escadas kkk), não acho que seja isso (o sentimentalismo) e sim choque de gerações. Como disse, o que traz esse sucesso é a nostálgia, concordo que sim, pode haver um certo machismo por parte de alguns (o beijo entre o naruto e o sasuke é algo que sempre é zuado), mas apresentei One Punch Man, ReLIFE e Erased para uns amigos (homens) que não acompanham animes e eles gostaram de todos (sendo que apenas 1 era shounen). O problema real é anime ser associado como algo infantil (animação em geral), sendo assim, apenas animes com essa premissa é que vem para o Brasil (Pokemon, Youkai Watch, Beyblade, Bakugan, etc… e os shounens), pois eles sempre vão fazer sucesso entre o seu público alvo (infanto juvenil), assim como DBZ e CDZ fizeram em suas respectivas épocas e conseguiram criar público o suficiente para se manterem fortes até hoje. Quando perguntava para amigos meus o por que eles pararam de acompanhar naruto (na época que tava em dúvida se devia começar a assistir ou não) a resposta era sempre a mesma “os fillers”.

          • Tulius Alves

            Mas acontece que o sentimentalismo de CDZ e DB…são trabalhados de forma bem leve. Oque importa para os Brs na maioria das vezes…e ter que discutir quem é mais forte.

            Anime com sentimentalismo exibido no Brasil só começou mesmo com Yuyu hakusho…mas a série tinha “demônios” e já foi concluída.
            Enfim…de resto é como Alice falou…é mente fechada que é o problema da maioria do público Br …se você não tem caras se batendo… e mortes no calor do momento…o povo esquece.

          • SaintARMOR

            Errr…. olha, bem antes de YuYu Hakusho, coisas como Macross, Marco: 3000 Leagues in Search of Mother e Zillion(além de vários outros) já haviam sido exibidas por aqui. Sentimentalismo é o que não faltou em tais obras.

          • Alice

            Dentre estes que você citou, quantos são populares e lembrados pela maioria? Calma… Antes que se inicie uma discussão shonen, não estou desvalorizando as obras que tu citaste. Mas pelo contexto da discussão, citar o anime Yu Yu Hakusho é válido, mesmo ele não sendo o precursor desse ponto. O sentimentalismo é trabalhado em vários animes, mas dentre os populares, o de Naruto foca em uma amizade quase romântica do personagem principal com seu amigo. Isso é comum em um anime shonen, onde existem batalhas e homens uniformizados? O Naruto poderia amar o Sasuke além de uma simples amizade? Sim, e isso não seria um problema. O problema está, além do preconceito contra casais homoafetivos, acreditar que dois homens ou duas mulheres héteros não podem desenvolver uma amizade mais carinhosa, porque isso não seria coisa de homem, e no caso das meninas, não pegaria bem (embora as mulheres sejam menos perseguidas moralmente nessa questão). Resumindo, o sentimentalismo retratado no enredo do anime Naruto é bastante diferente dos demais animes “shonen porrada” que detém fama no Brasil.

          • Tulius Alves

            Tivemos o Shurato…na época da manchete, não tem relações tão bem tratadas como o Naruto, MAS Gai e Shurato poderiam ser comparados a Sasuke e Naruto( um pouco mais pesado, já que tem cena deles dois pelados).
            Porém não vejo muitos brasileiros criticando isso, claro , seguem a ideia saudosista: “- Na minha época era diferente”.

            E acabam não percebendo a contradição de suas críticas.

          • Alice

            Tem uma outra questão interessante: os fãs fervorosos de Naruto são chamados ironicamente pelos “críticos” como narutards.

          • Lucas Baldez

            Mas se a nossa cultura extremamente machista não aceita animes shounen com sentimentalismo, e que por causa da possibilidade de um romance homoafetivo entre os protagonistas, é o motivo para as pessoas largarem a série, como explicar o sucesso de Naruto no Brasil ? E a cena do Shun com o Hyoga na casa de libra? (sim acho idiota quem faz piada com essa cena, mas nem por isso o pessoal deixou de acompanhar o anime, muito pelo contrário)

          • Alice

            O suposto interesse amoroso do Naruto pelo Sasuke é um ponto, dentre vários apresentados no enredo. E se no lugar de dois homens, fossem duas mulheres na casa de libra? Não teria tanta repercussão negativa e piadista.

          • Lucas Baldez

            Isso não dá para se afirmar, pois não me lembro de um caso em que um possível romance entre mulheres tenha passado, e quando acontece, é censurado (ou seja, não se trata de ser um casal de homens ou de mulheres, o pré conceito é geral), veja o exemplo de Sailor Moon e A Lenda de Korra.

          • yeux

            Cara, o lado emotivo do desenho Naruto é mais pesado. Pelo menos para mim, esse anime deixou marcas, porque ele te força a refletir de forma profunda. Nos demais animes existe esse lado da emoção, mas as lutas ou o humor estão bastante presentes; diferente de Naruto, onde o drama prevalece.

    • poderazul

      eu acho que devia de passar um seinen porque todo mundo gosta de seinens que nem hellsing,steins gate e berserk

  • Rafael Bueno

    OBRIGADO MUITO!!

  • Alisson Paiz

    Querooo muito… tomara que a rede Cinemark distribua para todas as suas salas de cinema Brasil a fora.

  • Esse filme precisa ser bem trabalhado aqui. Se lá no Japão quebrou vários recordes de bilheteria, acho que dá pra esperar um bom tratamento desse filme por aqui, ainda por ter a Diamond Films envolvida.

    • Kaio

      Após um ano de atraso, difícil heim?

      • Eryk Oliveira

        Se investisse em um marketing daqueles, isso não seria problema.

    • Eryk Oliveira

      Pior. Deveriam investir em um marketing pesado de divulgação. O filme é bom por um bom motivo. E todos mereciam assistir.

  • Chico Amaro

    Pela Diamond Films pelo menos dá pra esperar uma dublagem da Unidub quando chegar em Streaming

    • Ou da Dubrasil.

      • Chico Amaro

        Diamond só manda pra Unidub, Dubrasil foi uma exceção chamada Cavaleiros do Zodíaco

  • junniors

    Se não for dublado, não terá nada que faça alguém ir no cinema, porque não é difícil encontrar na internet.

  • Eduardo Jose de Andrade

    Se for dublado,tem chances de dar certo sim! pois se for legendado a gente acha na internet em bluray………..essa é a realidade no Brasil.

  • Matheus M

    Lançamento para todo o Brasil ou apenas para São Paulo?

    • Matheus Sousa

      Exclusivo para a Rede Cinemark. A lista de cinemas que vão exibir ainda não foi divulgada.

      • Matheus M

        Se for o caso então é possível que seja lançado por aqui. Espero que isso se confirme.

  • Carol

    Ah, mas eu assisti semana passada kkk Se soubesse teria esperado.

  • Genysson Conceiçao (Kakero)

    Chegou tarde de mais, mesmo dublado haverá uma perda muito grande de publico. Eu mesmo já assisti e assistiria de novo dublado, mas não não iria ao cinema por isso pelo menos não sozinho.

  • Fabrício Carvalho

    Na América Latina apenas o Chile tinha recebido este filme (em junho). Então, antes tarde do que nunca, pois minha expectativa era de nunca ver este filme nos cinemas brasileiros.

    PS: Koe no Katachi também já foi exibido no Chile, em março deste ano.

  • Zarchary Hale

    Qlqr tipo de animção Oriental que vier pra cá só visará Telespectadores se vierem Dublados pois se é pra vir legendado vejo na Internet mesmo

  • Gabriel Arruda

    Espero que lançem aqui em Fortaleza.

  • eu não gastaria dinheiro pra ver filme legendado no cinema

    • Eryk Oliveira

      Dá uma força. Futuramente eles podem começar a trazer dublado por causa disso (investimento de mercado, essas coisas.)

  • Tori

    Se lançar em Niteroi, eu agradeço demais.

  • Akuma

    Perca de dinheiro ir assistir, podemos achar legendado em qualquer lugar da internet, total certeza que isso sera legendado… mas é aquele ditado né, “vamos fazer oque?”

  • Eryk Oliveira

    Pois é, mano… queria tanto que tivesse em um desses dois, porque só tem deles aqui.

  • M Vinicius D Coelho

    Pena que terá exclusividade da Cinemark, pois não há na minha cidade então né… Impossível pra mim.

  • yeux

    E por qual motivo esse choque de gerações ocorre? Acho que a Alice já respondeu!!!

    • Lucas Baldez

      Por que assim como na política, aqui no Brasil, tudo é tratado como jogo de futebol, as pessoas defendem os seus lados cegamente, é aquela conversa de que “nos meus tempos é que era bom de verdade”, conheço muitas pessoas que dizem que amam CDZ, mas que perceberam os seus defeitos e ainda continuam amando (eu sou um exemplo) e isso acontece, não por que somo cegos, mas por que naquela época (e ainda hoje), o anime conseguiu nos passar certos valores como: amizade, companheirismo, persistência, fé, entre outros e que hoje em dia, serviram para formação e o caráter de muitas pessoas. E sei, que isso é muito mais importante que porradaria gratuita (até por que a animação nas lutas é horrível). Eu tinha, sim, pré conceito com aquilo que era novo, mas a medida que fui assistindo coisas novas, perdi isso. Por isso digo que o problema não é sentimentalismo (sailor moon e sakura, sim, sofriam com o machismo), mas no caso de naruto que é “shonen” também, percebo que é muito mais birra de pessoas nostálgicas.

  • Tulius Alves

    Na saga de hades…tem mais clima pesado do que sentimentalismo em si(pois isso é bem raso mesmo). Porem me foquei em yuyu,pois naquela época onde os animes bombaram de verdade foi o único que tinha um sentimentalismo por trás e que chamou atenção POR ISSO.
    Mas a comédia foi um ponto interessante citado por você, os Brs também abraçaram yuyu por causa da zoeira( outra coisa que chama atenção por aqui), mas a dublagem do Yuyu Br propositalmente alterou muitas coisas…um simples:
    “-desculpe o atraso” virou um.
    “-tô na área se derrubar é pênalti “.
    Ou seja…anarquia também chama atenção por aqui, não importa se existe no original ou não.

  • Tulius Alves

    Mas oque eu digo é: o Brasileiro praticamente não dá chance a animes que não tenham porrada,sangue e superpoderes.
    Vai ter exceção? claro! uma ou outra…mas infelizmente não vão se preocupar em dublar obras que fujam muito desses mundinho fechado não.

    E sim, concordo muito com a questão do choque de gerações, quem não lembra de Shurato? ele tinha a mesma ideia do Naruto com o Sasuke. “-Gai, vamos para casa!”
    Você vê a turma da manchete que critica Naruto e ama Shurato lembrando disso?…é bem difícil.
    O problema é…os tem muita gente que precisa abrir mais o coração…e expandir mais as ideias.